DE OLHO NO RÓTULO

PARTE II - VALIDADE

Como vimos na edição anterior, parte da população diz não ler os rótulos dos alimentos, consequentemente essas pessoas acabam não conferindo também, a data de validade do produto. O prazo de validade é uma das informações obrigatórias em todos os rótulos de produtos embalados, e deve ser um hábito dos consumidores conferi-la, uma vez que o consumo de produtos fora do prazo estabelecido podem ocasionar intoxicações alimentares e outras complicações.

Não estranhe, se não encontrar a validade em alguns produtos, de acordo com a legislação itens como: frutas e hortaliças frescas, vinhos e bebidas alcoólicas, produtos de panificação e confeitaria que tem consumo em 24 horas, vinagre, açúcar, balas, caramelos, confeitos, pastilhas, goma de mascar e o sal, não são obrigados a ter data de validade.

Fiquem atentos a alimentos que necessitam de conservação em temperatura adequada, pois de acordo com a temperatura em que o produto é armazenado, as datas de validade serão diferentes.Estas, devem vir informadas na embalagem, veja exemplo abaixo,ou quando vier somente um método de conservação descrito, este corresponde a data de validade impressa.

Exemplo 1: Validade de um peito de frango de acordo com a conservação, informação descrita na embalagem.

Sabe aquele molho de tomate que abriu semana passada e ainda está na geladeira??? Pois é, já leu a embalagem dele, onde diz: após aberto consumir em até 5 dias??. É isso mesmo, a data de validade impressa nos rótulos são validas para os produtos fechados. Para prolongar a data de validade alguns métodos de conservação são utilizados, como embalagem a vácuo, alteração de umidade e outros, e quando abrimos o produto, expondo a manipulação e ao ar, quebramos essa barreira imposta, e portanto a data de validade do produto é alterada. Isso é valido principalmente para alimentos com controle de temperatura.Alimentos armazenados em temperatura ambiente, como arroz e feijão, não possuem essa data, mas produtos como biscoitos, que podem perder a crocância após aberto, vem escrito; consumo imediato; isso não significa que estará contaminado, mas sim que depois de aberto o fabricante não garante as características sensoriais iniciais.

Mas afinal, como é estabelecido a data de validade??

O prazo de validade de um alimento é estabelecido pelos fabricantes, através de testes feitos em laboratórios, que utiliza uma amostra do produto, para avaliar sob que condições (umidade e temperatura) e em quanto tempo ele se deteriorará.Esses testes também tem como objetivo avaliar a estabilidade de ingredientes e nutrientes. Ou seja, o teste além de verificar as condições microbiológicas também verifica o tempo que durará a qualidade nutricional, a presença de vitaminas e minerais, e  as características organolépticas, como aroma, sabor, aparência e textura.

Portanto, quando falamos em produto vencido, ele não necessariamente irá nos fazer mal, mas ele poderá não apresentar todas as características sensoriais esperadas.Da mesma forma, produtos que foram armazenados de forma inadequada, por exemplo, fora de refrigeração, ou sob o sol, podem se apresentar dentro do prazo de validade, porém podem estar deteriorados. Quanto maior o teor de água presente no produto, maior a necessidade de conservação, e menor a validade, pois a água é um item indispensável para a proliferação e sobrevivência das bactérias.

Você sabia??

Que o consumidor que encontrar produto com prazo de validade vencido no ponto de venda receberá gratuitamente produto similar, dentro do prazo de validade???

Isso faz parte de uma campanha “De Olho na Validade”, que é uma iniciativa da APAS (Associação Paulista de Supermercados), que conta com o apoio da Fundação Procon-SP e tem como objetivo incentivar uma atenção maior ao prazo de validade, não só do fornecedor, que proporcionará outro item gratuitamente, mas também do consumidor que será estimulado a observar a informação.

 

Larissa de Menezes

Nutricionista