PARTE IV – Tabela Nutricional

Depois de vermos a importância da lista de ingredientes, vamos aprender um pouco a respeito da tabela nutricional, e usá-las a nosso favor.

Segunda a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a Rotulagem Nutricional é toda descrição destinada a informar ao consumidor sobre as propriedades nutricionais de um alimento. Ela se aplica a todos os alimentos e bebidas produzidos, comercializados e embalados na ausência do cliente e prontos para consumo. Obrigatório desde 2001 no Brasil, a tabela nutricional deve conter: valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibra alimentar e sódio.

As quantidades mencionadas devem ser as correspondentes ao alimento tal como se oferece ao consumidor, sendo obrigatório também, a indicação da porção, do %VD, e das quantidades em gramas de cada nutriente.

Mas o que é uma porção??

Segundo a ANVISA, é a quantidade média do alimento que deveria ser consumida por pessoas sadias, maiores de 36 meses, em cada ocasião de consumo, com a finalidade de promover uma alimentação saudável.

É também a quantidade do alimento utilizada como referência para o cálculo da tabela. Ela deve vir sempre em gramas (ou ml, no caso de bebida) e também em medida caseira (em unidades, colher, xícara...). Portanto as quantidades dos nutrientes descritos na tabela é sempre em relação a porção, e não ao conteúdo da embalagem inteira.

Já o %VD, valores diários de referência, servem para informar, as quantidades de nutrientes que a pessoa deve ingerir ao longo do dia, baseado num dieta de 2000kcal. A partir dessa quantidade, o VD é apresentado na forma de porcentagem, indicando, naquela porção estabelecida, quanto se relaciona ao recomendado para o dia inteiro. Por exemplo: Num macarrão instantâneo X, a tabela nutricional equivale ao pacote de macarrão e ao tempero juntos (porção), a qual apresenta um %VD de 67 para o item sódio. Isso significa, que ao ingerir o macarrão instantâneo você já ingeriu 67% da quantidade de sódio que é recomendada para o dia todo. O único item que não tem VD é a gordura trans, pois não tem uma quantidade recomendada estabelecida pela legislação, mas em termos de saúde, o ideal é exclui-la, ou seja, adquirir produtos sem gordura trans, onde ela esteja zerada.

O valor calórico indica a quantidade de energia (calorias) fornecida por aquele alimento, aquela porção, assim como os demais itens da tabela como: carboidrato, proteína, gorduras, fibras e sódio. Portanto, os valores que estão na tabela referem-se a porção, para saber a quantidade do pacote todo é necessário fazer uma multiplicação. Por exemplo: Um chocolate Y apresenta na porção, de 25g (1/4 tablete), 132 kcal, 15g de carboidratos, 1,3g de proteína, 7,3g de gorduras totais; comendo a barra inteira de chocolate, que tem 100g, na verdade estará consumindo: 528 kcal, 60g de carboidratos, 5,2g de proteína, 29,2g de gorduras totais, ou seja, 4x o que indica na tabela nutricional.

Veja abaixo, o modelo vertical, mais utilizado para a tabela nutricional, com os itens discutidos destacados.

           

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL

Porção de ...... g ou ml (medida caseira)

 

 

%VD (*)

Valor energético

Kcal e kJ

%

Carboidratos

g

%

Proteínas

g

%

Gorduras Totais

      Gorduras Saturadas

      Gorduras Trans

g

g

g

%

%

%

Fibra Alimentar

g

%

Sódio

mg

%

(*)% Valores Diários de referência com base em uma dieta de 2000 kcal ou 8400kJ. Seus valores podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.

Os rótulos e suas informações, como a tabela nutricional, são uma forma de comunicação entre os produtores e consumidores, devendo esta auxiliar na decisão de compra, podendo contribuir para uma alimentação balanceada, reduzindo os excessos alimentares e possíveis problemas de saúde.

Hoje sabe-se que muitos doenças, como obesidade, diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares, em sua maioria, podem ser evitadas com uma dieta adequada, na qual umas das recomendações é a diminuição de produtos industrializados. Nesse contexto, as tabelas podem orientar os consumidores, tanto ao que se deve evitar/preferir para não desenvolver tais doenças, como também aqueles que devem ser totalmente excluídos como forma de tratamento.

Por isso, a leitura dos rótulos e o entendimento da tabela nutricional são vistas como importantes atividades de promoção da saúde. Para comparar os produtos e permitir escolhas mais criteriosas.

 

 

Larissa de Menezes

Nutricionista